iOrbix
Email
Password
1-5 of 5
1
 
Ninguém conhece o meu verdadeiro eu, ninguém sabe quantas vezes eu me sentei no quarto e chorei, quantas vezes eu perdi a esperança, quantas vezes fui abaixo. Ninguém sabe quantas vezes tive de segurar as lágrimas, ninguém sabe os pensamentos que passam na minha cabeça quando estou triste e todos eles são horríveis. Vês o meu ser sempre a sorrir mas a verdade é que nem sempre é assim.
 
 
Sabes, eu sou fraca. Não consigo lutar mais por uma causa perdida, por um amor impossível. Não consigo imaginar a minha vida sem ti para me transmitir calma, sem todas as vezes em que me chamas 'miúda', sem isso e sem o teu sorriso, agora sem os teus abraços. Quando te vi, deu-me uma coisa tão forte na barriga, tive a sensação de que o destino estava traçado. E tu? Ias ser meu. Fui tão burra, tão ingénua ao pensar isso. Não sei como fui capaz de começar imediatamente a fazer planos, a planear todas as nossas futuras saídas. Imaginei que ia casar contigo até, uma estupidez, eu sei, mas não dava para evitar esses sonhos. E hoje, todos esses sonhos e muitos outros, foram destruídos pela tua insensibilidade, pela tua cobardia. Ai, como pude pensar que até podias vir a deixa-la por mim? Serei demasiado incapaz para aceitar a cruel realidade, a realidade em que nunca serás meu, em que os teus lábios nunca mais tocarão nos meus? Isto está a comer-me por dentro, está a deixar-me doida e eu não aguento mais isto. Não consigo aceitar o simples facto de que ela se vai ficar a rir. Se tu soubesses o que eu sinto quando penso em ti, a agonia que se instala, o aperto que me dá no peito e a força com que as lágrimas correm pelo meu rosto, não me fazias nada disto. Não conseguias sequer dizer-me que não me queres, eras incapaz de voltar a dizer o que disseste. Levaste-me a alma após a teres ferido, deixaste-me sem um objectivo de vida. Os meus dias são vazios, as noites são passadas em branco. Já invento doenças para não ter de contar nada a ninguém e chorar, porque chorar agora é a minha principal ocupação. Vou ter de aprender a viver sem ti, acho que nem um fio de amizade nos resta, também não queres não é?! Sou-te completamente indiferente, para ti não existo sequer. Não sei o que querias ao dar-me esperanças, mas agora faço uma pequena ideia (...) Parecias perfeito, com o futuro já planeado, decidido a salvar vidas. Achei-te diferente de todos os outros, a forma de falar, a forma como encaras a vida e de como a queres viver, até a forma de como queres morrer, achei-te realmente especial, mas depois disto tudo duvido que o sejas realmente. O que eu não quero é ter de te ver com outra e fazer de conta que me passa ao lado, até porque tu sabes melhor do que eu que não passa e me partirás o coração de cada vez que assistir a esse cenário.

[b]És igual aos outros todos, eu é que sou ingénua o suficiente para pensar o contrário.[/b]

[image=http://photos1.iorbix.com/00/00/00/00/00/10/69/62/dlG4iFMPATM-32A-45G-27-b.jpg]
 
 
Não sei mais por onde pegar, estou a tentar não chorar, missão impossível. Estou a tentar não cometer a maior ou última loucura da minha vida. Grito socorro, aguardo por alguém que me venha socorrer, por alguém que me diga que vai ficar tudo bem, por alguém que me abrace e me proteja. Não sinto e não sou a mesma sem ti, sem a tua presença constante, sem as tuas palavras de conforto, daquelas que eu gosto, daquelas que animavam o meu dia. É difícil saber que já não me amas, que já não me queres agarrar e sentir a minha respiração ofegante, que já não queres sentir os meus lábios junto aos teus. O melhor é mesmo eu partir, partir para longe daqui antes que o meu corpo se sinta ainda mais afectado com as decisões que tomo com a cabeça. Já não me chamas, já não precisas de mim, já não precisas de nada disso. Venha o que vier, aconteça o que acontecer, eu vou amar-te, sempre, sempre. As forças esgotam-se, e eu não sei se consigo caminhar por muito mais tempo. Ando perdida sem ti, não tenho rumo, não consigo pensar, já é difícil alimentar-me em condições. Fim.
 
 
Transformaste o meu coração numa verdadeira catástrofe, e a tarefa de tirar-te de dentro dele é exequível. Pensei que este amor era para sempre, mostraste-me que estava realmente enganada. Estou a tentar, tentar apenas, tirar-te da minha cabeça, mas acima de tudo do meu coração, porque ao contrário de ti, não te amei com a cabeça. Quando quis arriscar, quando me esforcei para te ter, para fazer o teu bom coração feliz, fi-lo mais por ti do que por mim. Pensei mais na tua felicidade do quena minha, pus-te acima de qualquer coisa que também me fizesse feliz. Tens sim, um pedido de desculpas para me dar, penso sempre que isso irá bastar para fazer a minha desintoxicação, mas não, quero sempre mais e mais. (...) O teu amor era basilar, sempre foi, mas tu, tu, nunca quiseste saber. Bastou-te ver-me sofrer, porque tudo o resto, tudo o resto te passou completamente ao lado. Já disse tantas vezes que acabou, já me fartei de escrever textos deste género, dizendo "eu consigo!", mas não, realmente, não estou a conseguir. "Tarefa Difícil!". Quero voltar a ser quem era, quero voltar a ter o regozijo de antigamente. Não fui suficientemente forte para aguentar, admito que não fui, mas não tinha muitas mais condições para sofrer, não tinha mais pedaços para partir.
 
 
Por mais que eu tente esquecer esta dor horrivel, por mais que e tente tentar não pensar no mal todo que me fizeste, não pensar na raiva toda que tenho de mim ou nas crises de choro constantes ao longo do meu quotidiano, não consigo! Tu, tens grande poder em mim, grande influência. Sabes o que eu fazia por ti, o que eu dava só para te olhar nos olhos, por mais que eu também o quisesse, não dava! Não por culpa minha, não por culpa tua, mas por culpa nossa, que nem sequer tentamos, talvez por vontade tua. Neste papel, deixo as minhas lágrimas, as lágrimas de desespero, que me fazes derramar cada vez mais (…) Eu juro que mudava por ti, eu juro que controlava os ciúmes, apesar de nunca termos tido nada em concreto, que te renovasse. Gostava de ti como eras, gostava de ti pela forma de agir, pela forma de pensar, pela forma que encaravas e ainda continuas a encarar o mundo à tua volta. Podes até nem acreditar nas minhas palavras verdadeiras mas quero que saibas que o que senti e ainda sinto por ti, é intenso, mais do que eu quero. Lutei enquanto pude, enquanto tive condições para sofrer, mas agora acabou!

Desisti, vou começar a escrever outro capítulo da minha vida.
 
1-5 of 5
1
Sara Raquel | Blog | iOrbix
JavaScript is disabled on your browser.
iOrbix won't work properly if your browser doesn't have JavaScript enabled.
Please enable JavaScript, or alternatively, access iOrbix Mobile.